Conhea a Associo Clube do Carro Antigo do BrasilLogin




Mercedes-Benz Heck - O Fusca da Mercedes

Mercedes-Benz Heck - O Fusca da Mercedes

Fotos: Dieter Hebmann/Daimler AG/Divulgação

O que ficou famoso foi o da Volkswagen, mas o primeiro automóvel do mundo com motor traseiro foi lançado pela Mercedes-Benz em 1934

De Laguna Beach - EUA- Tem a frente arredondada, a traseira idem, duas portas, quatro lugares, motor traseiro de quatro cilindros e foi produzido na Alemanha na década de 1930. A descrição é de um Fusca, mas é um Mercedes.

A marca da estrela de três pontas, já famosa naquela época pela produção de automóveis sofisticados e elegantes (mas muito caros), decidiu desenvolver um projeto de um modelo barato, mais acessível ao povo alemão. Era a solução para evitar a quebra da empresa, pois despencava a venda de carros caros na Alemanha.

Os responsáveis pelo projeto foram Hans Nibel (sucessor de Ferdinand Porsche como diretor de engenharia da Daimler-Benz) e Wilhelm Kissel, diretor geral da empresa.

O resultado foi o "130", lançado em 1934. A solução pioneira do motor traseiro trazia inúmeras vantagens, principalmente num modelo compacto de pequena distância entre-eixos. Entre elas, a melhor utilização do espaço interno e a ausência do eixo cardã (que liga o motor dianteiro às rodas traseiras), que reduzia custo, peso e perdas de potência.

Ao englobar todo o conjunto propulsor (motor/transmissão) na traseira, o custo de produção foi muito reduzido e a ausência do radiador na frente permitiu o desenho de linhas mais aerodinâmicas.

As diferenças entre o Fusca da Mercedes e o da Volkswagen estavam no motor (o 130 era refrigerado com água) e na suspensão (o da Mercedes tinha molas helicoidais na traseira, o da VW barras de torção).

O sucessor do 130 apareceu em 1936: o "170 H" foi produzido até o início da guerra, em 1939, trazendo diversos aperfeiçoamentos, a começar da cilindrada, de 1.308cm³ para 1.697cm³, a potência que pulou de 26hp para 38hp e o entre-eixos ficou 10 cm mais longo.

A Mercedes levou para Irvine, na Califórnia (EUA), seus modelos com tração traseira. É lá que está seu Classic Center, uma espécie de concessionária da fábrica dedicada aos antigos. Tem compra e venda de automóveis, completa seção de peças, oficina, butique e consultoria. Uma cópia do que a empresa tem em Fellbach, na Alemanha. Foi lá o centro de operações para a "apresentação" e "test drive" dos "Heckmotoren", ou motores traseiros. Daí o "h" do 170 H.

NA ESTRADA

Mercedes-Benz Heck

É muito curioso entrar num "Fusca" e sair dirigindo um automóvel com motor traseiro refrigerado ... a água. E com painel completo com vários reloginhos, inclusive dois para a temperatura da água:na entrada e na saída do motor. Claro que os engenheiros da época eram preocupados com a refrigeração de um carro com radiador lá atrás e embutido na carroceria.

No modelo 130, a potência é tão baixa que mal se percebe a tendência do carro em sair de traseira, em função do motor "dependurado" atrás do eixo. No 170 H, um pouco mais "espertinho", a coisa se complica ligeiramente. Mas o entre-eixos aumentado dá mais conforto e muda seu comportamento.

A caixa tem três marchas e uma "sobre-marcha" ("over-drive"), que se engata (ou deveria...) sem embreagem, só tirando o pé do acelerador. Eu não consegui engatá-la de jeito nenhum, mesmo respeitando a recomendação da fábrica de só tentar acima de 65km/h. Denis Simanaitis, editor da Road&Track, que foi meu parceiro no "test drive", também tentou e não conseguiu...

Mercedes-Benz Heck

Apesar da idade, os "Fuscas da Mercedes" têm uma ótima dirigibilidade. A não ser a inevitável escorregada da traseira em curvas mais apertadas, a direção e freios são muito eficientes. As marchas (exceto a quarta...) são fáceis de engatar (depois que se "pega o jeito") e o desempenho bastante coerente para a época, lembrando-se de que se tratava de um "Volkswagen". Com a mesma deficiência de performance que os nossos atuais "populares". O 130 custava, mas chegava aos 90 km/h, enquanto seu sucessor atingia impressionantes 110km/h!

A Mercedes também levou para o teste o 170 V, ou seja, o compacto também lançado em 1936 mas com motor dianteiro e tração traseira, para comparações. Nem deveria, pois é claro que se trata de um automóvel muito mais equilibrado e agradável de dirigir...

Mercedes-Benz Heck
O modelo bege (E) é o 170 H, mais potente e com mais distância entre-eixos do que o 130, proporcionando melhor desempenho e conforto

A solução do motor e caixa na traseira foi abandonada durante dezenas de anos pela Mercedes. Mas acabou voltando em 1998, no pequeno Smart.

Mercedes-Benz Heck

Mercedes-Benz Heck

Publicado em: 9/8/2011
Fonte: Vrum.com.br

Compartilhe com seus amigos:

Voltar para Página Anterior:

409





Ônibus para Locação
Ônibus para Locação


Mercado Livre




Associe-se
Rede de Benefícios


Anuncie Grátis

Área do Anunciante
Classificados
Eventos
Notícias
Eventos CCA
CCA na Mídia
Dúvidas e Sugestões
Veículos para Locação
Veículos Antigos Roubados
Indique

Facebook Clube do Carro Antigo

Siga-nos no Twitter

Dodge, Polara Gl, 1981, Marrom Calcutá
Lote de Peças
Chevrolet, Monza, SLE Sedan, 1986, Cinza
Mercedes Benz, 560 Sl, 1988, Vermelha

Locação de veiculos antigos para eventos, publicidade, fotografia








----------------

Empresas Apoiadoras
Logos dos Apoiadores